quarta-feira, 12 de julho de 2017

O significado de lutar contra o mundo moderno


Lutar contra o mundo moderno já era uma mensagem que Julius Evola nos legou em palavras antes mesmo de muitos que agora leem esse artigo tivessem "pensado em nascer". Soou como um alerta de uma resistência, como uma radiofrequência pirateada para todas as partes do mundo. O que me lembra muito a parte final da franquia de filmes "O Exterminador do Futuro" (The Terminator), - sucesso que nunca perdia a oportunidade de assistir na infância - quando a personagem principal, Jonh Connor, e sua parceira percebem que se encontram sozinhos frente a tomada do mundo pelas máquinas que haviam sido construídas pelo próprio homem para "protegê-los do mal". Connor, encontrando uma forma de usar um antigo terminal de comunicação, transmite a quem estivesse ouvindo que caso estivesse do outro lado da linha, então você era a resistência.

Hoje, vivendo nessa era, que com certeza não é a nossa, mas, de outros, as maquinas, junto de seu caráter destrutivo e sua desenvoltura desengonçada são representadas não por corpos de metal frio, mas por outros seres humanos, cuja reunião em bandos mais se assemelha as modernas séries sobre zumbis e o apocalipse. Sua única intenção, por mais numerosos que sejam seus pseudo-desdobramentos é uma só, desconstruir nosso mundo, a beleza, a paz e o equilíbrio, corrompendo nossos espíritos a uma materialismo sem nexo e redundante e quando falo de espirito, num termo mais pratico, falo de caráter, personalidade e valores. Uma raiva tão vazia quanto sua falta de razão, são oque esses vagantes possuem e somente. Tal como nos filmes de zumbi, seu cérebro também eles vão querer devorar, mas não com dentadas sangrentas, mas com a confusão do mar de materialidade escura, falsa e mentirosa. 

A luta contra o mundo moderno nasce da rejeição, no mais intimo do ser, de tudo isso. Toda essa destruição e desse caos. Conforto e abrigo interior em meio a desordem. Você será sua própria moradia. Desnecessário dizer que quando despertamos para o que há por trás do mundo, não importa mais ser aceito por aquelas "pessoas legais" da escola, faculdade, trabalho ou vizinhança que atendem a todos os requisitos de agentes passivos do sistema, nem acumular bens até poder comprar o carisma dos idiotas. 

Veremos que lutar e ser a verdadeira e seleta minoria é antes de mais nada nadar contra a corrente mesmo que seus braços cansem pois se quisermos, o mais teimoso achará um litoral para recarregar, pensar diferente é antes de mais nada ser o mais franco possível consigo mesmo, não se iludindo pensando que vai ser fácil mas aceitando a dor como caminho da libertação, ser franco suportando a dor de si mesmo, superá-la e  assim, certamente e somente por esse caminho alcançar seu lado divino interior, o lado de Deus e dos Deuses do valor, seu eu, guerreiro e sábio mas valente e perspicaz e ele não será outra pessoa se não você. Buscar seu verdadeiro equilíbrio não te deixará cético nem firme demais para ser desacreditado, mas sim, inabalável, pois nada derrubará aquilo que está bem firme e que possui raízes profundas. Isso deve te levar a ser justo, antes de mais nada, consigo mesmo e para com os seus... e lembrara que justiça nada tem haver com estar passivo. Lembre-se que dar honra aos verdadeiros camaradas sempre logrará ser honrado por eles, que nunca se medirão pela quantidade mais somente pela qualidade. Nisso, vemos também sobre ter coragem de seguir em frente, mesmo quando os camaradas possam cair do seu lado. Pois verá seu verdadeiro valor quando estiver sendo confrontado sozinho. Isso é a personificação do culto aos mistérios da base de todos os valores, o respeito. Que só o alcança a quem lhe é concedido.

Tudo isso não é simples muito menos difícil quando se entende que não se trata de fórmulas esquematizadas mas sim, que são a expressão de nossos símbolos, desde os mais remotos tempos. E quando queremos olhar para tais símbolos com vontade sincera, corajosa e verdadeira eles olharão para nós e isso nos será dado.

A. Marques

Artigo disponível na sessão: Cultura & Sociedade

Um comentário:

  1. COMO É POSSÍVEL QUE MILHÕES DE PESSOAS, OU MELHOR DIZER, POVOS INTEIROS SE DEIXAM COVARDAMENTE DOMINADOS PELOS RACISTAS-TALMUDISTAS-JUDEUS???!!! É IMPRESSIONANTE ESSA COVARDIA GLOBAL!!!

    ResponderExcluir

O Sentinela - Mídia dissidente brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

converter este artigo em PDF

converter este artigo em PDF