sexta-feira, 30 de junho de 2017

EUA – Causador Nr.1 de refugiados


Já sabemos faz tempo, mas agora um relatório da ONU tornou oficial. Os países com maior número de refugiados são todos alvos de intervenções militares dos norte-americanos. Segundo o UNHCR, mais de 65 milhões de pessoas foram obrigadas no ano passado a deixar suas pátrias, por causa dos mortais conflitos. A metade deles são menores de idade. Os países atingidos têm algo em comum: Washington está de alguma forma envolvido em ações bélicas locais.

Como é possível, que apesar deste fato, não haja protestos e gritaria por parte das boas pessoas, políticos e veículos de mídia, mas ao contrário, eles se esforçam para que nosso “aliado” EUA seja visto ainda como “o bom”. A propaganda norte-americana funciona aparentemente de forma magistral para poder com tanta eficiência encobrir e desviar o foco de seus crimes. As controladas mídias Fake-News são os principais responsáveis por esta cortina de fumaça.

A todo momento fala-se sobre os refugiados e o que se deve fazer para ajudá-los, mas o causador da onda de refugiados não é chamado pelo nome e condenado. O mesmo vale para todos os governos europeus que não ousam desferir uma única palavra crítica contra Washington, por causa de sua política bélica, embora a Europa esteja pagando o preço pela acomodação dos refugiados. E como poderia ser diferente, quando eles próprios participam das guerras como “aliados”? Quer dizer, os países membros da OTAN são co-responsáveis pelas atrocidades.

O escritório do alto comissário da ONU para a questão dos refugiados (UNHCR), que redigiu o relatório, deixou bem claro a tragédia que acontece nestes países, quando mostra que por causa dos conflitos mundo afora e das perseguições – “uma pessoa é expulsa a cada 3 segundos, tempo menor do que seja necessário para ler este parágrafo.”

O comissário Filippo Grandi declarou que os números são “inaceitáveis” e clamou para “solidariedade e um objetivo comum para prevenção e solução das crises”.

O que o relatório não menciona infelizmente – e por isso a razão deste artigo, é o papel das intervenções norte-americanas, direta ou indiretamente, originando a maioria dos refugiados do mundo.

O gráfico a seguir, do relatório da ONU, mostra de onde vem os refugiados nos anos de 2015 e 2016.



Os países de onde partem a maioria dos refugiados: Síria (12 milhões), Afeganistão (4,7 milhões) e Iraque (4,2 milhões).

Os EUA e sua “coalizão dos voluntários” conduzem sabidamente uma guerra no Afeganistão há 16 anos (incluindo a Alemanha através da ilegal atividade do Bundeswehr) e no Iraque há 14 anos… e o fim não está a vista. O governo Trump até anunciou agora sua intenção de enviar nos próximos meses milhares de soldados ao Afeganistão.

Cada soldado norte-americano durante a ação no Afeganistão custa ao contribuinte dos EUA a quantia de 2,1 milhões de dólares. O “militaryTimes” reportou em setembro que as guerras no Iraque e Afeganistão custaram até agora ao contribuinte norte-americano quase 5 TRILHÕES de dólares, sim, 5.000 BILHÕES!!

Inacreditável tal monta de dinheiro, que serve apenas à destruição, sofrimento e morte. Quanta coisa boa poder-se-ia fazer com tal montante!

Na Síria, os EUA conduzem uma guerra por procuração, à medida que eles mantém em ação há seis anos, como tropa de infantaria, os terroristas do ISIS para sua “mudança de regime”, os quais combatem o exército sírio e atuam contra a população síria. A aviação norte-americana bombardeia o país há muito tempo, assim como adentraram no país soldados norte-americanos.

Através da política de Washington para remover o presidente Assad, todas as cidades e vilarejos sírios foram devastados e milhões de habitantes tiveram que deixar seus lares.

Também em outros países da lista de maioria dos refugiados, os EUA conduzem guerras ou fazem intervenções militares como no Sudão do Sul, do Norte e Somália.



Como o gráfico mostra, a Colômbia aparece em 2º lugar como “produtor” de refugiados, com 7,7 milhões de colombianos que foram expulsos em 2016.

Da mesma forma como na Síria, os EUA promovem uma guerra proxy na Colômbia, financiando grupos paramilitares denominados “Esquadrões da morte” desde a década de 1980, quando o presidente Reagan iniciou sua “Guerra contra as drogas”.

Desde então acontece uma guerra entre as forças revolucionárias armadas da Colômbia (FARCE) e os grupos paramilitares pagos pelos EUA. Esta guerra já dura mais de 50 anos e provocou a expulsão de milhões de pessoas.

O Que acontece de fato na Colômbia é uma guerra pelas DROGAS… como no Afeganistão, que se tornou o produtor mundial de drogas desde a invasão das tropas dos EUA. É desta forma que é abastecido o caixa dois da CIA!!!

A política externa norte-americana, ou Política Bélica para Ampliação do Caos e da Destruição, também é responsável pelo conflito no Sudão do Sul. Aqui o relatório da ONU mostrou ser o lugar do planeta onde o número de expulsos cresce ao máximo.

Em 2011, os EUA forçou o Sudão do Sul a se separar da maior parte do país. Por quê? Porque o sul do Sudão tem a maior reserva de petróleo de toda a África e o país havia fechado um acordo comercial com os chineses. Washington evitou desta forma que os a China tivesse acesso ao petróleo do Sudão.

Através da intervenção americana, desencadeou-se uma guerra civil e segundo o relatório da ONU, cerca de 3,3 milhões de pessoas tiveram que deixar suas casas no Sudão do Sul desde a eclosão do conflito.

Como podemos ver, independente da “fonte” da maioria dos refugiados e expulsos, a política criminosa dos Estados Unidos está por detrás. E o roteiro é sempre o mesmo, sobre o palco eles alegam defender os Direitos Humanos, a Democracia e as Políticas Humanitárias. Tudo mentira!

Vale registrar que a ONU não ousa dar nome aos bois. Grandi clama às nações do mundo para evitar e solucionar a crise de refugiados, mas não tem a coragem de dizer que Washington e o complexo militar industrial – através de sua insaciável ganância por conquista, poder e lucro – causa as catástrofes do refugiados!

O clamor do secretário Filippo Grandi é um teatro para inglês ver, pois a própria ONU sugere a troca das populações para diversos países que possuem baixa taxa de natalidade. E sob qual pretexto? Poder manter o dogma do “imprescindível crescimento econômico”. Se alguns países europeus preferem em determinado ponto de sua história diminuir a população – que podemos discordar, mas que deve ser respeitado, os globalistas veem nisso a oportunidade para poder promover sua “agenda kalergiana” – NT.

Fonte em português: Inacreditável

Fonte Original : UNHCR – Global Trends – Forced Displacement in 2016

Alles Schall und Rauch, 25/06/2017.

Nota: Imagem do título "Centenas de refugiados andam em direção à Grécia. | ©Amnesty International (Photo: Richard Burton)"

Artigo disponível na Sessão: Atualidade & Interesse

Veja Também:






Um comentário:

  1. Duas principais fontes de refugiados são as guerras e a indigência. O princípio do ladrão de galinha ou ladrão de banco e congêneres é o mesmo dos promotores de guerras, obter o vintém de outrem. Visitar uma mansão de ladrão de banco é o mesmo que fazer turismo nos EUA, INGLATERRA e PAÍSES ALIADOS. http://gutezitate.com/zitate-bilder/zitat-alle-kriege-sind-nur-raubzuge-voltaire-146515.jpg TODAS GUERRAS SÃO APENAS LATROCÍNIOS.

    ResponderExcluir

O Sentinela - Mídia dissidente brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...