sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Liberdade para Dieudonné!


Por André Marques

Na manhã desta quarta (14/01), em Paris, a polícia francesa prendeu um dos mais destacados críticos do sionismo internacional no país, o comediante e ator além de escritor e autor, Dieudonné M'Bala M'Bala (48), sob a acusação de "apologia ao terrorismo". Sua prisão acorreu no exato momento em que a França ainda vive a histeria de sua própria "11/9  Français" .

Seu crime? Na sequência de declarações na sua página do Facebook, ele escreveu: "Me sinto Charlie Coulibaly". Com essa frase publicada no Facebook, o polêmico humorista Dieudonné M'bala M'bala despertou a indignação do establishment e seus fantoches manipulados pela mídia ocidental amestrada. Um homem preso e a beira da condenação por postar no facebook. Cuidado!

Quem olha dessa forma, logicamente irá ter o caso por encerrado, correto? Pois bem, vamos aos fatos...

Mais de 10 mil policiais nas ruas, grupos táticos especiais e esquadrões anti-terrorismo nas esquinas de Paris, marcha com mais de 40 mil pessoas pela "liberdade de expressão", ainda que programática, suja e preconceituosa, porém, endeusada pela mídia ocidental, líderes europeus lacaios aliados unidos de mãos dadas como vanguarda, o peculiar Chalie Hebdo batendo recordes de vendas e até mesmo sendo arrematado a boas centenas de milhares de euros como "edição histórica". Quem não esperaria o próximo passo da "liberdade constitucional" das "democracias esclarecidas"?...calar os que lhes pensam diferentes para preservar "la liberté d'expression".


Francês de pai camaronês e com 20 anos de carreira como humorista, Dieudonné nem sempre foi visto como antissemita, pelo contrário: começou sua carreira em um dueto com o humorista Élie Semoun, e durante anos eles eram conhecidos por seu humor pungente e com estereótipos raciais.

Depois de se separar do companheiro, entrou para a política, candidatando-se em eleições legislativas contra o Front National.

Em 2005, Dieudonné foi condenado por classificar o Holocausto de "memória pornográfica". No total, a Justiça francesa o condenou sete vezes, entre outras coisas por "incitar o ódio". 

O humorista ganhou fama internacional em 2013, quando sua saudação, (chamada "quenelle", que consiste em um braço estendido para baixo e a mão oposta repousada sobre ele) foi usada pelo jogador de futebol Nicolas Anelka para celebrar um gol. Saudação essa chamada por toda a impressa de "saudação nazista invertida", um marco moderno do "anti-semitismo".


A piada de Dieudonné (posteriormente apagado) foi encarada pela mídia como que se o humorista simpatiza-se com Amedy Coulibaly, (?) acusado de ter matado uma policial um dia depois do massacre na revista Charlie Hebdo e de ter matado quatro pessoas durante um sequestro em um mercado judaico, no dia seguinte. Tudo que os sensores da liberdade precisavam para distorcer suas afirmações públicas. 

Dieudonné então está detido para interrogatório. A decisão surge na linha das declarações do primeiro-ministro, Manuel Vals, que no discurso na Assembleia Nacional pediu uma "justiça implacável":

“Que afronta ver um reincidente do ódio manter um espetáculo com casa cheia, ao mesmo tempo em que no sábado, a nação se recolhia na Porte de Vincennes. Não deixemos passar isto e que a justiça seja implacável para com este pregador do ódio. Declaro-o com imensa força nesta tribuna da Assembleia Nacional”, afirmou.

Hora vejam só, a justiça, oficialmente apoia como liberdade de expressão as afrontas intolerantes, xenofóbicas e de ultraje a culto cometidas pela redação do Charlie Hebdo no qual realmente eram dignas de uma verdadeira incitação ao escarnio público de toda uma etnia e são tidos como "heróis nacionais", mártires da democracia, justiça e laicidade da qual os constitucionalistas franceses tanto "enchem suas bocas ao balbuciarem, mas, quando se faz o mesmo com quem não é árabe, branco, ou outra coisa qualquer...quando se fala em judaísmo ou Sionismo, esse último o único e verdadeiro alvo alegadamente de Dieudonné, não estamos livres de pensamentos como "incitação ao ódio", anti-semitismo" e "nazista racista". Então eis uma afirmação e uma pergunta; o direito de liberdade é deliberadamente muito relativo, então, a quem não se pode falar mal?

Tanto judeus quanto árabes podem ser considerados semitas. No entanto, se Dieudonné é um anti-semita, o povo árabe esta muito desavisado, correto?

Um homem que teve a coragem de expressar ideias das quais iam de frente a aqueles dos quais não se pode falar mal, os que realmente controlam a situação por detrás de todo o espetáculo do terrorismo, o massacre árabe e a alienação do mundo ocidental. Um homem desarmado, que paga seus impostos. No início de 2014, quase não houve um dia na França sem que o nome de Dieudonné aparecesse nos noticiários. A prisão do polêmico humorista francês Dieudonné, nesta quarta-feira, por "apologia ao terrorismo" é absurda, como comprova o professor Olivier Roy, um dos maiores especialistas franceses em islã e autor de inúmeros livros sobre o tema. prender um humorista por fazer uma piada? (Fonte)

Estas são armas encontradas com Deudionné, preso ontem por apologia ao terrorismo numa Franca que dias atrás marchou supostamente pela liberdade

O mais engraçado é a afirmação do próprio Manuel Valls, na época ministro do Interior (hoje primeiro-ministro francês) ao indagar que o país "não pode tolerar o ódio contra os demais, o racismo, o antissemitismo, o negacionismo"

O advogado de Dieudonné reagiu perguntando se a França é o pais da liberdade de expressão, para concluir que o governo deu a resposta com a detenção do seu cliente.

Todos os espetáculos do humorista foram cancelados. Porém, enquanto o ministro Valls metralha mais asneira e choramingo como que Dieudonné "não é um comediante", mas sim um "antissemita e racista" e, enquanto se investiga sua suposta "apologia ao terrorismo", diz que que seguirá tentando proibir suas apresentações por serem "um risco à segurança pública", ele tem também muitos simpatizantes, que defendem que seus espetáculos são apenas obras de humor e que devem ser protegidos pela liberdade de expressão.


Apesar das críticas - ou, talvez, por causa delas -, alguns de seus vídeos têm mais de 2 milhões de visualizações na internet. E o público lota seus shows.

Na cidade de Nantes, 6 mil pessoas haviam comprado ingresso para assisti-lo e, quando souberam que o espetáculo havia sido cancelado pelas autoridades, alguns manifestaram seu apoio com o saudoso gesto de sua alcunha.

Mas não é a primeira vez que o governo francês cometi tais garfes de perseguição de opinião. Todos aqueles que acompanham esses casos estão lembrados das duas prisões consecutivas do compositor, escritor, cantor e ideólogo norueguês Varg Vikernes. Retirado e sequestrado a furtivamente por forças táticas anti-terror do estado enquanto dormia com sua esposa francesa dentro de sua própria residencia no interior da França, sob acusação de incentivar ataques terrorista e planejar um deles no país. Varg, conhecido por sua visão tradicionalista e Nacionalista foi libertado por óbvias faltas de provas e ações.



Fonte e informações do texto:


Veja Também:




Site Oficial de dieudonné:

6 comentários:

  1. ESSE BARROSISMO EM DIZER QUE NEGROS SÃO MARAVILHOSOS E SÓ JUDEUS SÃO O PROBLEMA É O MESMO QUE INCENTIVAR MAIS DETROITS

    ResponderExcluir
  2. O JUDEU JA É UM DECAIMENTO DO EUROPOIDE VIA SANGUE SUB-NOSTRATICO

    ResponderExcluir
  3. COMO O DECAIMENTO PODE SER PIOR QUE A FONTE DO DECAIMENTO?

    ResponderExcluir
  4. ALEM CLARO DE INCENTIVAR MAIS GENOCIDIO GENOMICO DE NATIVOS COM ALOGENOS VISTO QUE ESSE CARA É SÓ MAIS DISSO

    ResponderExcluir
  5. https://lh4.googleusercontent.com/-zUbrgfnAmL4/VLhlqTiWjCI/AAAAAAAAYTE/p7qvD9NXjN0/w433-h240/decep%C3%A7%C3%A3o.jpg

    OLHA AI BARROSISTAS O QUE VC´S CONSEGUIRAM PARABENS

    ResponderExcluir
  6. De acordo com um estudo do FBI, entre 1980 e 2005, houve mais atos de terrorismo cometidos por judeus nos Estados Unidos do que por muçulmanos (7% contra 6%).

    Charles Kurzman, professor de sociologia na Universidade da Carolina do Norte, disse que os muçulmanos americanos são “uma ameaça minúscula para a segurança pública”. Em seu recente relatório intitulado “Terrorismo Muçulmano-Americano em 2013″, Charles afirma: “Os Estados Unidos sofreram cerca de 14.000 assassinatos em 2013. Desde o 11/9, o terrorismo muçulmano-americano tirou 37 vidas nos Estados Unidos, a partir de mais de 190 mil assassinatos durante este período.”

    Então, por que nós só ouvimos falar de ataques de militantes islâmicos, fazendo como se fosse uma “grande calamidade”?

    O islamismo radical na Europa é definitivamente uma ameaça. Mas não é o perigo existencial que está a ser feita por alguns xenófobos.
    http://anonhq.com/less-2-terrorist-acts-committed-muslims-europe-us/

    ResponderExcluir

O Sentinela - Mídia dissidente brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...