Princípio da Autoridade ou Democracia


Dr. Rolf Brandt

A Democracia almeja atender a vontade popular. Para se inteirar desta vontade, a Democracia, na forma como é representada nas culturas milenares da nova história, formulou sistemas que finalmente levam ao impedimento da realização da vontade do povo produtivo e trabalhador, e asseguram o domínio do Estado às negociatas políticas.
A história da moderna Democracia – pode-se deixar fora desta consideração a história da Democracia da antiguidade, pois ela tinha outro sentido e outros motivos – começa na Inglaterra. As instituições democráticas se estenderam rapidamente após a dissolução da robusta monarquia francesa, por toda Europa Ocidental e se alastraram para a América do Norte através da língua e costumes ingleses. Também a Alemanha foi inundada com esta ideia, mas no fundo ela permaneceu apenas na periferia de todas as ramificações germânicas.

Em 1804, Schiller escreveu com suas últimas forças uma grande obra e trouxe ao mundo um verso, um verso imortal sobre as decisões parlamentares e democráticas:

“O que é Maioria? Maioria é a falta de sentido, Razoabilidade foi encontrada sempre em poucos… Deve-se pesar os votos e não contá-losO Estado deve sucumbir, cedo ou tarde, onde a Maioria vence e a ignorância decide.”

Quando então no meio do século passado (século XIX – NR), o Liberalismo e a Democracia festejam seu aparente triunfo mais alto, o novo Reich alemão é unificado não pelos homens da Igreja de Paulo, mas sim por Bismarck, um homem, um líder, um expoente da liderança natural.
Dr. Rolf Brandt, jornalista e redator

A Democracia encontrou seu desabroche político no parlamentarismo, que foi festejado como um santo remédio, uma expressão da vontade popular. Como uma cópia mal feita, este parlamentarismo foi estendido às cidades, à menor das corporações, adentro dos mais profundos canais da vida do povo. Era lógico que deveria ter uma ação venenosa, pois sua essência foi – e ainda é – retirar o peso da decisão e das determinações do indivíduo. A Maioria decide, as decisões da Maioria são executadas…

Mas sempre quando a ação se faz imperativa, quando responsabilidade e decisão devem entrar em cena, então a Democracia fracassa e o Führertum deve tomar as rédeas.

Führertum é um termo que expressa o sistema de liderança baseado no Princípio da Autoridade ou Princípio da Liderança Autoritária. O líder da nação, de uma região, de um grupo, recebe todo o poder, porém, junto a esse poder vem também toda a responsabilidade – TR.

Na guerra, quando todo um povo se levanta e defende sua terra e o sagrado patrimônio de seu sangue, a decisão recai apenas no Líder. O homem determina o instante. Se uma “Alta Comissão de Guerra” tivesse que decidir, se a batalha deve ser realizada ou não, se o risco de morte é aceitável…, então, nós sabemos que a batalha, o exército e o país estão perdidos…

Os povos querem viver em paz. O camponês deseja trabalhar em paz suas terras ancestrais, e o trabalhador deseja pão e moradia para si e sua família e evolução e espaço vital para si e suas crianças. Porém, todas as Democracias do mundo impeliram para a guerra. Quem não se recorda da histórica cena do parlamento em Paris em 1870, quando um, da própria eloquência, gritou à massa de deputados: “Para Berlim! Para Berlim!”Democracias não evitaram a guerra, nem garantiram a paz, elas também não puderam representar nem da forma mais primitiva a opinião de um povo. Além disso, elas nunca conseguiram despertar o sentido para o todo, que apenas o líder verdadeiro pode mostrar.

Quando Bismarck seguiu o apelo de seu rei e tornou-se Ministro de uma Prússia arruinada pela exaltação democrática, ele escreveu no parlamento a Motley, seu amigo de juventude:
“Aqui no parlamento, enquanto escrevo a você, sou forçado… a escutar discursos estranhos vindos da boca de políticos infantis e excitados… Os senhores aqui não estão uníssonos quanto às motivações de suas futuras decisões, por isso a disputa… Estes tagarelas não podem governar de fato a Prússia, eu tenho que lhes oferecer resistência, eles têm pouca inteligência e muita complacência, estupidez e insolência. Estupidez em sua forma genérica não é a expressão correta; as pessoas são em parte medrosas, bem informadas, com formação universitária, porém, eles sabem tão pouco de política, assim como nós sabíamos enquanto estudantes… em todas as questões eles se tornam infantis assim que aparecem juntos em corpore.

Esta é a imagem desenhada esplendidamente em todos seus traços, que representa todos os parlamentos do mundo.

Contra esta Democracia, que não representa a vontade do povo, contra esta economia de partidos, que nem ao menos entendeu o próprio sentido de partido, se levanta o Movimento nacional. Adolf Hitler utilizou os métodos exteriores e golpeou a Democracia, mestre na condução das armas, com suas próprias armas.

O Princípio da Liderança Autoritária cresceu em solo germânico. Na realidade é o princípio de todos os povos que possuem sangue germânico, e também os ingleses, que são nossos primos, provaram em sua hora mais aguda, quando o “lado de ferro” de Cromwell, o Führer (líder), limpou o país. O povo deve ser participativo em todos os acontecimentos. Com seu sangue são pagas as batalhas, com seu suor é adubada a terra. Mas não são aquelas pessoas que não querem se envolver totalmente, que deverão tomar as decisões. O Princípio da Autoridade não é uma coisa simples, ele exige grande sacrifício de quem lidera, o sacrifício de toda atuação de uma pessoa, sua responsabilidade completa e com todo o peso da decisão.

Führer deve decidir, em todo círculo sempre deve haver apenas um que decide. Assim foi nos antigos tempos germânicos, quando os reis movimentavam suas espadas e conduziam suas tropas, [...]

Também nos últimos 14 anos, entre os povos, a Democracia esteve submetida ao princípio parlamentar e às palavras mentirosas daqueles que faziam as negociatas políticas e aos oportunistas de plantão. Sempre onde alemães e franceses se encontraram, ou alemães e ingleses, ou ingleses e franceses, eles sempre escutaram seus parlamentos durante as conversações mútuas e, às vezes, até tinham uma ideia da real situação dos acontecimentos mundiais. Eles temiam enganar estes parlamentos, e estes parlamentos os enganavam com falsas votações, através de um sistema sujo de discursos e tapas nas costas, comum a todos os países. A falta de coragem foi o decisivo na face da Democracia. Não para o bem, para o mal, não pelo amor e não pelo ódio, eles não estavam lá para tomar uma decisão, para procurar uma saída, todos eles se prendiam ao lucro que a Democracia lhes proporcionava. Eles até imaginavam em suas cabeças poluídas, que Deus seria democrático. Até a esta profundidade eles ignoravam a imagem divina do ser humano.

Não havia um líder entre eles, alguém que realmente entendia o povo, que não interpretava o grito do minuto ou da paixão, mas sim podia compreender ao longo dos dias a verdadeira vontade do povo com ouvidos proféticos e um bom coração. Quando Loyd George escapou das inúteis maquinações de Paris no ano de 1918, ele tinha conhecimento, e ele a descreveu, da terrível infelicidade que o Tratado de Versailles deveria trazer à sua Pátria. Mas quando ele estava em Londres, no recinto do parlamento, lhe tomou por conta o receio da votação, de sua repartição, da Maioria, e ele escreveu as mais inúteis e tolas frases sobre as reparações alemãs para o público da grande cidade transviada, atormentada e decadente. Ele não era um líder. O Princípio da Liderança Autoritária é seleção, Liderança Autoritária é renúncia, e Liderança Autoritária é conhecimento em prol do real sentido de seu tempo. A Liderança Autoritária tem suas raízes no seio do povo, do qual foi criada. E porque cresceu desta forma, ela não necessita temer a opinião proveniente de um momento de excitação, pois ela é mais forte que a ameaça do momento.

Adolf Hitler mostrou em seus anos de luta o gênio deste caminho infalível. A decisão de sua alma nunca pode se enganar, pois ele sentia outra coisa: o caminho, o sucesso, a vitória e o destino.

Princípio da Autoridade ou Democracia? São os dois grandes e principais opostos das questões vitais. A consideração fácil e liberal que quer empurrar a responsabilidade para a massa, a qual sempre quer ser inocente, e que quer se sobressair sobre os ombros dos trabalhadores, daqueles que trabalham em silêncio, dos aplicados, das vítimas. Quando então vem a decisão, a hora difícil, a tempestade, que não poupa a vida de nenhum povo, então está lá a Democracia, a massa cinza, a coberta atrás da qual aqueles, que a usaram, querem se esconder.

Führertum é a vida dura, é o conhecimento da ação. O Führer não se importa com a quantidade, ele lida com a alma de seu povo e incorpora-a finalmente; e esta incorporação e esta vitória são as últimas recompensas para sua existência e para sua ação – que é toda sua vida.

Todos os grandes alemães reconheceram esta ideia. Goethe também acreditava no surgimento natural das classificações em seu povo. Ele deu ênfase a palavras brilhantes como resistência contra o mal e a vitória dos líderes que formavam um anel em torno da alma do povo:

"Oh, está época traz sinais terríveis: o pequeno espírito se avoluma, o grande desaparece, como se todo mundo pudesse encontrar no lugar dos outros a satisfação de desejos confusos, para somente então se sentir felizes, quando nada mais puder se distinguir, quando todos nós formos varridos e despedaçados por uma torrente, sem que percebam, nos perdermos no oceano. Oh, nos permita resistir, nos permita defender valentemente nossa integridade e a de nosso povo!"
Este é o princípio do Führertum alemão.

Wilhelm Kube – Almanach de nationalsozialistischen Revolution, Brunnen Verlag, Berlim 1934, páginas 49-53.
Lula: “A política aparece na televisão como se fosse sinônimo de coisa ruim”

Porque será?

9 comentários:

  1. sabem qual é a diferença entre os líderes e os democratas? é muito simples.
    é que os líderes, como Adolf Hitler, são eleitos. (Hitler foi eleito 4 vezes). e os democratas não são.
    é tudo uma mentira e uma palhaçada.
    Churchill governou sem ser eleito, pelo menos 1 mandato.
    Bush idem, governou sem ser eleito (perdeu para Al Gore, sem apelo nem agravo) e ainda houve a fraude dos boletins viciados na Flórida.
    Barry Soetoro (vulgo Obama) nem sequer podia ter sido candidato, pois nem é cidadão americano, portanto a eleição foi fraudulenta logo na base, mas ainda houve outras fraudes nas eleições propriamente ditas.
    a Dilma Roussef também não podia ser candidata e as eleições foram fraudulentas (como aliás, são todas) desde contagem de votos 'secreta', a burlas do estilo já estarem atribuídos 400 votos à Dilma antes de começar a eleição, etc, enfim, é a palhaçada total.
    depois a treta de que os democratas são pacíficos e nunca dão golpes de estado nem fazem violência.
    Kerensky que eu saiba era democrata. a morte do czar foi feita pelos democratas.
    a revolução de 1789 foi feita pelos primeiros democratas, fartaram-se de matar e não foi só durante o golpe de estado, não. a matança e os banhos de sangue continuaram pelo menos até 1794, mortes às centenas de milhar, etc. o regicídio português foi feito pelos democratas. o próprio marxismo foi financiado pelos democratas e já mesmo antes tinha sido criado por eles.
    os democratas fazem atentados políticos como Camarate em Portugal e outros com dedinho da cia.
    as bombas atómicas foram lançadas pelos democratas (sem esquecer Totskoye do lado soviético), o 11/9 foi feito pelos democratas, Dresden que foi a maior calamidade da história universal, foi feita pelos cabrões dos democratas, Vietname foi feito pelos democratas, depois temos as invasões de países, guerras atrás de guerras e mais guerras, os EUA nos 238 anos da sua existência, estiveram 212 sempre em guerra, e coincidência ou não, os 238 anos coincidem praticamente com o período democrático. os EUA só tiveram 26 anos de paz em 238 de existência e está tudo dito.
    sem esquecer dos genocídios de Churchill, um dos maiores, senão mesmo o maior criminoso da história da humanidade conhecida (só tendo rival em Estaline e Mao). só no império britânico matou 22 milhões de pessoas, matou deliberadamente de fome entre 6 a 7 milhões de indianos.
    na II Guerra matou deliberadamente mais de 5 milhões de alemães, incluindo crianças, mulheres e civis inocentes, com recurso a bombardeamentos selvagens e armas químicas. aliás, Churchill quis usar gás venenoso contra todos os alemães. e usou mesmo gás venenoso contra o Iraque na I Guerra Mundial
    portanto, só aí estão quase 30 milhões de vítimas, já sem incluir os que ele terá morto quando lutou na I Guerra.
    em que é que isto fica a dever a um Estaline?
    há ainda o plano genocida Morgenthau, organizado, idealizado e aplicado pelos democratas, Baruch Levi, Morgenthau, Roosevelt e Eisenhower, que pouco depois chegou a presidente, sendo que a sua eleição provavelmente foi tão 'honesta' como as que eu disse acima.
    o único democrata que ainda tentou fugir um pouco da tirania e do status-quo, aconteceu-lhe o que aconteceu, levou um balázio nos cornos (Kennedy)

    ResponderExcluir
  2. (...continuação)
    os democratas traficam drogas duras à vontade, ou então protegem traficantes e criminosos, como no caso da Dilma e do Lula que andam de braço dado com as farc, os democratas violam crianças, traficam seres humanos, roubam, pilham, corrompem, espiam, etc, etc...
    os democratas são os maiores filhos da puta que existem à face da terra, juntamente com os seus amigos marxistas, que no fundo, até são democratas também.
    portanto, claro que lhes interessa um sistema igualitário e partidocrático, pois esse é o sistema que dá o poder político aos mass média, como disse e bem o falecido William Pierce, e os ignorantes serão sempre a maioria e legitimarão sempre os corruptos, tirando-lhes o ónus da culpa e proporcionando-lhes o álibi perfeito.
    a democracia é o sistema perfeito para os escroques, corruptos e criminosos, é um sistema onde não há culpados nem responsáveis e tudo fica impune.

    democracia é Guantánamo, é Gaza, é Hiroshima, é Dresden, é assassinatos de Kennedys, é Vietnames e Watergates, é Clintons e Lewinskis, é Nine-Eleven e outros terrorismos, é corrupção, usura e escravidão, é droga, homossexualismo, pedofilia, é os mass-merda a enganarem as massas acéfalas, é mentira atrás de mentira, hipocrisia atrás de hipocrisia, é golpadas nos bancos, é ditadura dos Rothschilds e Rockefellers, é guerras e mais guerras, é a CIA e Mossad a fazerem atentados false-flag e outras operações, é vigilância sobre os cidadãos, é eleições fraudulentas, é materialismo e dinheirismo, é ausência de valores, é degeneração, é cosmopolitismo, é Coca-Cola e McDonalds, é geração MTV e Hip-Hop, é Beatles, Madonnas, Rolling Stones, Lady Gagas e Michael Jacksons, é genocídio Ariano, é invasão terceiro-mundista, violações e crimes da escumalha, é liberalismo, é marxismo cultural, é SIDA, Ébola, Vacas Loucas e HIV.

    foram e são estes os grandes contributos e progressos que a ditadura chamada democracia nos deu.

    ResponderExcluir
  3. correcção: onde escrevi Baruch Levi, queria dizer Bernard Baruch. este monstro além de ter financiado Churchill, Eisenhower e mesmo Woodrow Wilson, também esteve envolvido na criação da bomba atómica.

    ah e na parte em que descrevi a democracia no último parágrafo, esqueci-me ainda do Muro de Berlim e do arame farpado, outra maravilha que a democracia deu ao Mundo. além da merda da maçonaria, é claro.

    ResponderExcluir
  4. "os democratas são os maiores filhos da puta que existem à face da terra, juntamente com os seus amigos marxistas, que no fundo, até são democratas também."

    Também me ocorreu isso quando li o artigo... Parece bem sutil a linha que separa Democracia e Marxismo. Acredito que não seria difícil tece-lhes a semelhança. Basta lembrar que a máxima (demagógica) de ambos é a "satisfação das massas".

    O Nacional Socialismo, pelo contrario, exalta o princípio autoritário, o princípio régio universal, e ainda assim o povo (as massas) progridem em bem estar nesse tipo de sistema. Basta lembrar que a Alemanha se tornou uma Super Potência em algo em torno de apenas uma década...

    Independente do sistema político, o melhor termômetro para a qualidade de um sistema político é o bem estar geral do povo que está sob seu cetro. O bem estar das "massas" que os democratas tanto defendem em discurso, mas que servem apenas para elegê-los como representantes da elite mundia sem fronteiras.


    ResponderExcluir
  5. Para conhecimento:

    http://www.economist.com/news/international/21584008-study-holocaust-expanding-worldwidefor-differing-reasons-bearing-witness-ever

    http://rediscover911.com/holohoax-a-15-year-olds-school-report-exposes-holocaust-lies/

    http://incogman.net/

    http://mynameisjoecortina.wordpress.com/page/2/

    ResponderExcluir
  6. http://www.theeverythingpages.org/blog/american-satanism-part-1-a-beginners-guide/

    http://endzog.wordpress.com/2013/05/29/flesh-eating-jews/

    ResponderExcluir
  7. Israel, recordista mundial em prática dos Direitos Humanos e sempre em defesa da democracia, do bem estar, etc. Recentemente prendeu um perigoso terrorista palestino bebê de 11 meses (meses, não é anos) de idade. Veja em http://english.pnn.ps/index.php/prisoners/8662-israel-holds-the-youngest-prisoner-in-the-world-11-months-old

    ResponderExcluir
  8. Michele Obama é homem?! Será que a (ou seria o) primeira-dama é drag quenn?!

    São essas as fantásticas conclusões apresentadas no vídeo acima (em alemão e aqui em inglês https://www.youtube.com/watch?v=gvuulZPbfBg ), com uma impressionante série de dados científicos da biologia humana comparando os organismos de homens e mulheres, que incluem tamanho de dedos anelares com indicativos, ombros, pomos de Adão, etc.

    Conclusão direta e objetiva do vídeo e dos estudos? Michelle Obama não é mulher, mas um homem!

    Ou seja, os EUA não possuem uma primeira-dama, mas uma drag queen como esposa de Barack Obama.

    http://revellationline888.blogspot.com.br/2014/03/michelle-obama-e-um-transsexual-e-video.html

    https://barackovomit.wordpress.com/2014/04/01/who-is-michael-lavaughn-robinson/

    http://trutube.tv/item/photos/40/YA5649AKB5M8/THE-THEORY-OF-EVOLUTION-Michael-TO-Michelle

    Michelle=Michael
    Um blogger com nome de Matthew B. Glosser revela de uma fonte anónima da Casa Branca: http//beforeitsnews.com/opinion-conservative/2014/03/michelle-obama-is-a-transexual-2821396.html que a “Primeira Dama” é transexual, mas como Obama controla a mídia, a imprensa não pode escrever sobre isso.

    http://topatualidade.com/2014/04/25/michelle-ou-michael-michelle-obama-e-uma-transexual/

    https://barackovomit.wordpress.com/2014/04/01/who-is-michael-lavaughn-robinson/

    https://www.youtube.com/watch?v=01WHqnwg60k

    https://www.youtube.com/watch?v=J7ZpMRcnMS4

    ResponderExcluir
  9. ARRUMA O TEXTO, NÃO DÁ PRA LER NADA.

    ResponderExcluir

O Sentinela - Mídia dissidente brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...