O Massacre de Gorla, mais um genocídio dos aliado


O Massacre de Gorla, chamado pelos italianos de "Strage di Gorla", foi um atentado terrorista contra uma escola de ensino fundamental. A escola se chamava Scuola Elementare Francesco Crispi e ficava na cidade de Milão, no norte da Itália. A escola foi severamente bombardeada pelos aliados sionistas no dia 20 de outubro de 1944, durante a invasão da Itália na Segunda Guerra Mundial. Os bombardeiros B-24 estadunidenses, os supostos libertadores da Itália, causaram a morte de 184 crianças e do inteiro corpo docente.

Gorla é o nome do bairro onde se localizava a escola. Somente neste dia, o número de mortos entre as crianças da escola e de outros civis foi de 614, além de diversos desaparecidos e feridos.

OS ALIADOS "LIBERTANDO" A ITÁLIA

O bombardeamento aconteceu no dia 20 de outubro de 1944, e coincidentemente o Ministro do Armamento da Alemanha, Albert Speer, estava na cidade.

O grupo de 103 bombardeiros estadunidenses saíram do aeroporto de Foggia (cidade previamente destruída durante os Bombardeamentos de Foggia), no centro-sul da Itália em direção à Milão decolando às 07:58 da manhã. O 461° group e o 484° group alcançaram os objetivos. O 451° group por sua vez, comandado pelo Coronel James B. Knapp da USAAF, teve uma história bem diferente.

Cartaz da República Social Italiana "os libertadores passaram".

Segundo consta documentação oficial, logo no início um dos aviões constatou problemas mecânicos, voltando para o aeroporto e deixando a formação com 35 aviões. O resto do grupo, chegou em Milão logo após às 11:00 da manhã quando constataram que tinham errado a rota e estava longe dos alvos sem tempo para corrigir o percurso. O comandante tinha duas soluções, enviar a esquadra para a zona rural e se desfazer do peso das bombas antes de retornarem à Foggia, ou soltarem as bombas ali mesmo, no bairro residencial. O comandante optou pela segunda opção. Os bombardeiros da formação tinham 10 bombas de 220 kg cada.

Os estadunidenses planejaram, segunda foi dito a imprensa atacar as fábricas de Milão com 3 grupos de bombardeiros:
  • 38 bombardeiros B-24 do 461° group, tinham como objetivo a fábrica da Isotta Fraschini.
  • 29 bombardeiros B-24 do 484° group, tinham como objetivo a fábrica da Alfa Romeo.
  • 36 bombardeiros B-24 do 451° group, tinham como objetivo a fábrica da Breda.
Os professores dos alunos (de 6 aos 11 anos) ao ouvir os alarmes anti-aéreos, tentaram correr para os refúgios junto com as crianças, enquanto algumas mães correram em direção à escola as quais carregavam crianças pequenas nos braços. Ás 11:24 a escola foi bombardeada causando a morte dos 184 alunos, 19 adultos entre os professores, funcionários da escola e mães dos alunos, e 18 crianças pequenas que acompanhavam as mães.

Nenhum dos responsáveis por este crime foi julgado (!!!)

Monumento no atual terreno da antiga escola.

Não há comoção internacional, pressão pelo julgamento desse crime de guerra, as famílias das vítimas não foram indenizadas. A Itália não foi repara por tais danos, não houve julgamento internacional para os culpados....ninguém foi condenado. Porque somente um povo em especial (eleito)....


Fonte: Metapedia

Veja Também:


Um comentário:

O Sentinela - Mídia dissidente brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...