segunda-feira, 30 de junho de 2014

O Nacional-Socialismo alemão sobre o capital financeiro

legenda em NOTA (I) no fim do texto
No manifesto dos 25 pontos do partido Nacional-Socialista dos trabalhadores alemães, podia-se ver onde se sitavam sobre as questões econômicas:

[...] Por isso exigimos: 
11. A abolição do dinheiro obtido sem trabalho e sem esforço.  
12. Em vista dos enormes sacrifícios de bens que toda guerra exige do Povo, o enriquecimento pessoal na guerra deve ser qualificado como crime contra o Povo. Exigimos, portanto, o confisco de todos os lucros de guerra. 
13. Exigimos a nacionalização de todas as empresas monopolistas.  
14. Exigimos a participação nos lucros das grandes empresas. 
15. Exigimos uma ampliação generosa da assistência social aos idosos  [..]
17. Exigimos uma reforma agrária adaptada às nossas necessidades nacionais; a criação de uma lei para a expropriação gratuita de terras para fins de bem comum. Abolição do interesse agrário e impossibilitar toda especulação com a terra. 
18. Exigimos a luta implacável contra aqueles que com sua atividade prejudicam o interesse comum. Os criminosos do povo, os gananciosos, os especuladores, etc. serão punidos com a pena de morte, sem distinção por sua religião ou raça. 
19. Exigimos a substituição do direito romano que serve a ordem mundial materialista por um Direito Comunitário alemão (...) 
"O Interesse comum vem antes do interesse particular!” - Adolf Hitler e Gottfried Feder - Os 25 pontos do Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães (1920)

Sangue Contra Ouro

"A luta contra o capital financeiro e o empréstimo internacional se tornou o ponto mais importante da luta na Nação por sua independência e liberdade". - Gottfried Feder

O Nacional-Socialismo compreendeu que o bem-estar da comunidade vem antes dos interesses individuais de qualquer outro grupo. Para o Nacional-Socialismo, o dinheiro é meramente um fator de troca de bens materiais, uma maneira de avaliar matematicamente o trabalho do Homem para a realização de futuras trocas – o que chamamos de comércio. Todos possuem o direito de colher os benefícios do seu trabalho, desde que este seja produtivo e honesto.

A ideia era de que no Nacional-Socialismo, não havia diferença entre o trabalho manual e intelectual, não há divisões trabalhistas quando este é honesto. 

Totalmente contra as grandes corporações que visam lucro desenfreado adquirido de maneiras totalmente cruéis e imorais antes do bem das pessoas, contra as empresas que destroem o meio-ambiente porque estão mais preocupadas com dinheiro do que com o futuro e com o bem-estar mundial, os Nacional-Socialistas, fomos os primeiros ambientalistas da história!

1 - A globalização é um fenômeno que marca a força da usura e do egoísmo. É o fim de fronteiras para a implantação de um sistema econômico global que favorece apenas as grandes elites e que não visa a preservação cultural ou o Povo, mas apenas lucro. O mundialismo, através da superação de fronteiras, destrói as culturas nacionais e promove uma anti-cultura yankee totalmente consumista a la McDonald’s. A Televisão, como instrumento alienador, divulga esse estilo de vida materialista e entorpece a sociedade com divertimento fútil e estúpido, desviando sua atenção da decadência da realidade. 

2 - O Sistema, como agente capitalista, promove a imigração em massa à fim da disponibilização de mão-de-obra barata para os patrões donos do dinheiro que pretendem diminuir os gastos e aumentar os lucros sem nenhuma preocupação com os operários. Prejudica os trabalhadores nacionais, desvaloriza o trabalho, empobrece a classe operária, aumenta a criminalidade, implanta culturas estrangeiras em nações que deveriam se preservar. 

3 - A especulação financeira não visa nenhuma produção, apenas lucro desenfreado sem nenhum tipo de contribuição com a sociedade. No Nacional-Socialismo, apenas o trabalho pode ser fonte de riqueza. Dinheiro não pode criar dinheiro, dinheiro não é produto, é fator de troca. O capital cumpre apenas papel como intermediário, não possui nenhum valor sozinho.

O Nacional-Socialismo sempre apoiou a livre iniciativa, desde que fosse aplicada de acordo com os princípios Nacional-Socialistas. De nada se diferenciaria dos grandes capitalistas se empregasse mão-de-obra barata de pessoas de fora da Comunidade – podendo prejudicá-la - para uma diminuição de custos. Também não seria diferente se não garantisse os devidos direitos dos trabalhadores ou os tratasse de maneira desonrada para beneficio próprio. O N.S acredita que o patrão honesto e o empregado podem trabalhar juntos em respeito mútuo em um ambiente saudável e equilibrado. 

Os marxistas negam cultura e raça como identidade imutável, substituindo-as pela classe social, mas não existe tal coisa como a dita solidariedade internacional classista, o trabalhador não é e nunca foi internacionalista por natureza, ele é patriota - vive em uma Comunidade, possui um vínculo com a terra onde trabalha. Internacionalistas são os agentes da globalização, os banqueiros, os empresários exploradores que não enxergam nem pátria, nem nação, mas apenas dinheiro.

O espírito do Nacional-Socialismo representa uma oposição violenta e radical contra o espírito do capitalismo. Trata-se da rebelião do espírito criativo e sincero do Homem contra a exploração e o poder dinheiro. Estamos engajados numa luta contra o capital financeiro e especulador. O Nacional-Socialismo é o sentimento de união espiritual e identidade cultural contra as forças da ganância e do egoísmo. 

A Revolução Social 

"Eu era, e ainda sou um filho do Povo. Não foi pelos capitalistas que eu iniciei essa luta, mas pelos trabalhadores alemães que tomei minha atitude".
Adolf Hitler 

O governo Nacional-Socialista alemão aumentou as férias dos trabalhadores significantemente; reduziu a jornada de trabalho para 8 horas, aplicou uma política de bem-estar dos funcionários que concedia 2 horas diárias de descanso com áreas de lazer. Em um ano de governo, as fábricas e lojas foram reformadas seguindo padrões exigentes de limpeza e higiene. 

Desemprego em milhões. Hitler assumiu o poder em 1933

Em 3 anos, mais de 23.000 estabelecimentos foram reformados, 1.200 campos desportivos, 13.000 instalações sanitárias e 17.000 cantinas foram construídas. Mais de 6 milhões de empregos foram criados apenas em 4 anos e o problema do desemprego foi totalmente solucionado. Todo alemão deveria prestar um ano de trabalho comunitário à fim de reconstruir a nação. A inflação foi controlada. Instituições especuladoras foram fechadas e os lucros injustos dos banqueiros, confiscados.

O Nacional-Socialismo histórico provou estar do lado dos trabalhadores. Nós representamos uma Cosmovisão que acredita no Homem, que acredita no trabalho honesto e produtivo, no senso de civilização - quando as pessoas compreendem que fazem parte de um Povo e que trabalham juntas para a posteridade. 

O fator determinante é o caráter, a Honra, o trabalho, a força de vontade individual, e não a conta bancária. Já se passou o tempo em que toleraremos que os grandes chefes, que os detentores do capital tenham o destino de nossas vidas em suas mãos.

O Nacional-Socialismo é a rebelião do Homem contra o poder do dinheiro. O Nacional-Socialismo é a verdadeira voz da classe operária! O Nacional-Socialismo é socialista!

NOTA (I)

No cartaz pró-nacional alemão, a imagem com a afirmação: "Der ist schuld am kriege!" quem em tradução livre para o português significa: "Quem tem a culpa pelas guerras!", apontando para a imagem caricata do de um banqueiro judeu sionista. 

Um comentário:

O Sentinela - Mídia dissidente brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

converter este artigo em PDF

converter este artigo em PDF