quinta-feira, 29 de maio de 2014

O Nacional-Socialismo: por George Lincoln Rockwell

Rockwell (ao centro) em seu célebre encontro com lideranças negras, por ocasião dos entendimentos sobre uma política racial saudável para a América. Entendeu-se - ambos os lados - que a secessão era inevitável.

Eu fiz um ano de pesquisa e escrevi centenas de páginas no esforço para ajudar o leitor a ver e entender que a Civilização Ocidental está a poucos anos do fim alcançado pela civilização romana – o esquecimento – e que ela, particularmente, irá sofrer o mesmo destino de milhões que caíram nas mãos dos mortais inimigos judeus da Civilização Ocidental – a escravidão ou, mais provavelmente, o assassinato – a menos que nós possamos encontrar a vontade e o conhecimento, para de algum modo, deixar de fugir do inimigo e atacá-lo com uma revolução Branca!

Mas como você faria para criar uma revolução? 

Deixando-nos todos crescer a barba, protestando nas ruas e começando a gritar, acenando nossas armas, atirando bombas, e agindo assim conforme o estereótipo do “revolucionário”? Não! Claro que não.

Hitler inspirou, organizou e lançou uma revolução relativamente pacífica, uma revolução que tirou menos vidas do que a Revolução Americana, e um número insignificante de vidas comparada com qualquer revolução iniciada pelos bolchevistas judeus.

Não apenas isso, mas a revolução de Hitler, como ele prometeu no (Livro) ‘Minha Luta’, era 100% legal – legítima – a vontade formalmente expressa da maioria do povo alemão, aprovada tanto pelo chefe executivo Alemão, Von Hindenburg, como pelo “congresso” alemão, o Reichstag. Hitler teve muitas oportunidades de tomar o poder pela força e poderia tê-lo feito facilmente em 1931. Mas Hitler acreditou que uma revolução contra a vontade das pessoas, uma revolução que conquista o poder apenas mediante o uso da força, não pode perdurar por muito tempo. Hitler, como eu, acreditou que um líder é um inimigo da civilização a menos que ele tenha a vontade do seu povo atrás de si.

Como, então, eu posso estar clamando por uma “revolução”? Como posso escrever de “matar e ser morto”? A violência não é a essência da revolução? Não necessariamente...

Pode talvez existir um elemento de violência, sim. Quando você é atacado por um assassino e se vê com a escolha de morrer ou você matar, então a violência é a única possibilidade. E a Civilização Ocidental está de fato sob o ataque de um inimigo que geralmente, como parte de sua política, mata e massacra mais cruelmente do que qualquer outro grupo na história.

Portanto, nós devemos ser muito violentos para pôr fim às matanças do inimigo comunista, e muito cruéis para derrubar seu poder.

Em 1923, quando os vermelhos ameaçaram tomar o poder na Baviera, os Nacionalistas, os conservadores, e o General Ludendorff pediram a Hitler que liderasse um “Putsch” – uma revolta – em Munique. Contudo, os fracos líderes o traíram no último momento. O “Putsch” foi esmagado e Hitler foi enviado a prisão. Mas essa não era uma revolução contra a vontade do povo, como revelaram os próximos eventos. Mas a essência de uma verdadeira revolução nunca é APENAS o derramamento de sangue e a desordem. Em uma revolução genuína e duradoura, a violência e a matança são apenas um meio conveniente para o fim de uma ruptura radical em toda - a perspectiva espiritual - a manifestação exterior de uma suprema vontade humana que irá estabelecer um novo arranjo dos assuntos físicos para adequar-se com um ideal interior.

A autoridade exercida pela maioria daqueles no poder hoje é uma autêntica tirania, ainda que se oculte hipocritamente como uma “democracia”. Essa não é a autoridade benevolente e inteligente para manter a ordem e a justiça estabelecidas pelos Pais Fundadores para o benefício do Homem Branco.

Nossa revolução deve estar baseada decididamente no plano de destruir o poder ilegal dos tiranos, e em restaurar uma ordem social justa que seja baseada em uma sólida autoridade que venha direto do nosso povo, que seja facilmente concedida para um líder.

Isso, quer queira ou não, foi precisamente o que Adolf Hitler fez para a Alemanha, e o que nós devemos fazer para a América.

Nossa revolução, para resumir, deve ter como sua força de impulso e meta, não apenas o ódio e a destruição do inimigo, mas deve imbuir-se com uma determinação absoluta para estabelecer uma ordem social justa onde cada homem pode desenvolver seu máximo potencial como uma parte próspera, feliz, e produtiva de nossa grande Raça Branca.

O que é uma ordem justa de sociedade?

Não há necessidade dessa compreensão dos princípios científicos de um viver em grupo próspero entre aqueles em sociedades saudáveis onde os instintos naturais estão intactos. Os animais, por exemplo, possuem “sociedades” ordenadas, prósperas, porque a Natureza dá todos os instintos necessários a cada criatura social para um viver em grupo de êxito.

Os lobos, formigas, abelhas e macacos, por exemplo, possuem sociedades altamente organizadas e completamente saudáveis, ordenadas.

Os homens antigos tiveram sociedades saudáveis. Logo o crescente controle do homem sobre a Natureza permitiu-lhe escapar do seu ambiente natural, rodear-se com as artificialidades e o luxo, até que ele se tornasse decadente e cheio de vaidade arrogante – uma vaidade que hoje é chamado de “liberalismo”.

Apenas voltando para a vida mais simples e mais primitiva – situação do irracional e selvagem mundo animal, e observando os funcionamentos dos instintos dados a eles pelo Criador, podemos colher um vislumbre das maravilhas que também foram dadas a nós – e que nós temos tirado.

A natureza criou “linhagens” com os quais ela pode experimentar e buscar sempre linhagens melhores, assim como faz um bom agricultor. O Criador, sendo um agricultor infinitamente mais sábio do que qualquer humano, insistiu inteiramente na pureza, na sagrada INTEGRIDADE BIOLÓGICA de cada grupo.

Mas a natureza, como o agricultor que cria vacas, pode melhorar a linhagem apenas criando a linhagem do melhor tipo, e eliminando o tipo mais deficiente. A natureza consegue esta tarefa com os instintos mais poderosos que nos foram dados: O AMOR ao nosso próprio tipo, e o ÓDIO a aqueles que são intrusos – ou “forasteiros”.

Estes dois instintos são igualmente importantes: O amor não é “bom” e o ódio não é “mal” – que é o mito tão amado pelos judeus, liberais, hippies, homossexuais, e idiotas.

O amor é de fato incrivelmente poderoso, e bom, quando é NATURAL. 

O amor, o natural, o tipo saudável, é de fato o que faz o mundo ao redor, e é o milagre mais sagrado e belo que já vimos aqui nessa Terra.
Mas sem um ódio mortal contra aquele que ameaça o que amamos, o amor é uma palavra vazia, um slogan para os hippies, gays e covardes.

Eu gostaria de escrever muito mais dessa lei particular do viver social, porque, como veremos, a Integridade Biológica é a essência, o ser e fim do Nacional Socialismo quando é aplicado para a sociedade ariana – e, de fato, de toda sociedade humana saudável que já tenha existido.

Mas simplesmente não há espaço nesse trabalho para o livro que poderia ser escrito exclusivamente sobre esse assunto. Eu apenas posso resumir dizendo que a primeira lei de todo grupo que vive mediante criaturas sociais é a INTEGRIDADE BIOLÓGICA; a absoluta, total e inflexível lealdade ao próprio grupo racial do ser humano é baseado no amor vigoroso, e ódio absoluto, inflexível, a qualquer forasteiro que invade e ameaça misturar seus genes com aquelas mulheres do grupo.

A segunda lei mais importante é a lei do TERRITÓRIO.

Por exemplo, de dez ou vinte machos do pequeno peixe tropical chamado “cauda de espada”, cada um demarca uma parte do aquário assim que estiverem dentro dele, e irão atacar qualquer invasão feita por outro macho.

Ao introduzir fêmeas no aquário, os machos irão lutar por elas, como é esperado. Mas a surpresa para a ciência é que o sexo não é o estímulo mais forte na vida desses pequenos peixes.

Se você começar a esfriar a água no seu aquário, pode chegar um ponto onde a água está tão fria que os machos não se importam quando você coloca as fêmeas. Quando a água estiver tão fria próxima de matar o pequeno peixe, eles não irão prestar atenção nas fêmeas. Mas mesmo quando eles estão no momento de quase congelar até a morte, eles ainda surgem ferozmente para defender seu TERRITÓRIO – sua propriedade privada!

O Nacional-Socialismo é baseado, entre outras coisas, neste conceito de propriedade privada. A lei de Território atua como um “Nacionalismo” e a propriedade privada na sociedade humana.

Dentro do reino animal, o líder nunca é escolhido por voto, mas sempre através da seleção natural estabelecida pela Natureza como o único método de assegurar que o grupo seja liderado pelo melhor: o combate. Isso eu chamei de lei da LIDERANÇA.

Assim que cada membro de uma sociedade animal aprende seu lugar na ordem biológica natural de resistência, conhecimento, e habilidade, cada membro se fixa em seu próprio nicho e o grupo é relativamente pacífico e ordenado. Somente quando os machos jovens começarem a amadurecer e tiver que lutar seu caminho acima ou abaixo da escala, ocorre, então, sérios confrontos. E depois, quando cada macho aprende a quem ele pode derrotar, e quem pode derrotá-lo, ele se estabelece e vive pacificamente e contentado no lugar em que ele encontrou para si mesmo.

Assim se estabelece mais dois princípios fundamentais ou leis de todo grupo vivo – a LIDERANÇA pelo melhor, e uma hierarquia natural ou escala de liderança de todos os outros membros do grupo – o STATUS.

Finalmente, um estudo do mundo animal determina que as fêmeas fiquem fora dos assuntos dos machos, e se especializem em produzir e criar jovens organizando famílias saudáveis. Para resumir: Há cinco leis básicas de todo grupo vivo, que eu chamei de “LEIS DA TRIBO”;

1 – a lei de INTEGRIDADE BIOLÓGICA (amor interno, ódio externo);
2 – a lei de TERRITÓRIO (a propriedade privada);
3 – a lei de LIDERANÇA (pelo melhor);
4 – a lei de STATUS (ou o lugar natural de cada indivíduo em um grupo);
5 – a MATERNIDADE para as fêmeas.

Com estes princípios naturais em funcionamento, enquanto eles estiverem por todo o mundo dos animais sociais, haverá uma relativa paz e ordem no grupo.

Apenas quando o grupo é forçado de algum modo a condições antinaturais, que não são os instintos dados por Deus para obedecer a essas férreas leis, é que a Natureza fracassa.

Para avaliar tudo isto em sua própria mente, pense na imagem aparentemente “louca” da delinquência juvenil. Nós temos os filhos e filhas de algumas das pessoas mais prósperas e endinheiradas que de repente ficam malucos, batendo em pessoas idosas, quebrando coisas insensatamente, consumindo drogas nocivas, e tornando-se marginais arrogantes e anti-sociais. Ao mesmo tempo, nós encontramos filhos de alguns dos grupos mais pobres em nossa sociedade sem originar nenhuma delinquência.

Até muito recentemente, por exemplo, os jovens chineses nunca foram delinquentes (e eles ainda possuem uma proporção bem baixa de delinquentes do que outros grupos). O jovem dos grupos decididamente unidos, ainda que sejam muito pobres, estão geralmente intocados pela loucura moderna da delinquência juvenil.

Porque é assim? Porque um jovem rico homem ou mulher deve transformar-se em ladrão, um vândalo, e ser brutalmente anti-social apesar de todas as vantagens concebidas, enquanto as crianças de alguma das pessoas mais pobres na América são bem ajustadas e construtivas?

A resposta é que as crianças que são criadas em um grupo em que conseguiu manter alguma semelhança com as leis de viver natural em grupo (as “Leis da Tribo”), que sentem que eles são membros fiéis de um grupo, uma “tribo”, que eles “pertencem” a algo ou alguém que valha a pena, e que, portanto, possuem um senso das cinco leis básicas de todo viver em grupo, não estão frustrados, nem perdidos e vazios.

Os judeus, com sua propaganda do liberalismo e Comunismo, tiveram conscientemente e cientificamente ido em torno do processo de apagar das almas de nosso povo toda memória das sagradas “Leis da Tribo”, que, sozinhas, podem fazer um grupo de humanos saudável, feliz e pacífico.

Nenhum ser humano pode viver com paz e felicidade fora de alguma classe de “TRIBO” para onde ele seja ALTAMENTE FIEL e que em troca APOIE-O ESPIRITUALMENTE.

Os judeus propagaram infinitamente a ideia destrutiva de “universalismo”, “mundialismo” – uma massa de indivíduos desposados de raça, apátridas, e alienados – como a ideia suprema de humanidade. Mesmo os conservadores foram induzidos a render elogios para esta mesma antinatural, dividida, super-individualista, doença judia da sociedade.

Dizem-nos os judeus que a Lei da INTEGRIDADE BIOLÓGICA (o amor interno, ódio externo) é “racismo” – o “maior mal” de todos os tempos! Dizem-nos que se não amarmos os homens amarelos, homens negros – e principalmente os judeus – tanto como o nosso próprio povo, então nós somos pervertidos e condenáveis – somos “racistas”. Milhões de miseráveis brancos imbecis acreditam nessa mentira judaica!

Dizem-nos que a lei do TERRITÓRIO (a propriedade privada) é uma ganância não-natural, e que os homens decentes devem desejar compartilhar tudo e não ter vontade pela sua própria propriedade privada. Eles chamam isso de “Socialismo Marxista”, “Comunismo”, e vários outros nomes indicando uma preocupação pela “sociedade” e “comunidade” – mas todos eles acertando na alma da única e mais poderosa motivação das criaturas vivas para construir, criar, e produzir. Outros milhões acreditam nesses mentirosos judeus.

Dizem-nos os judeus que a lei da LIDERANÇA (decidido pelo melhor) é uma “ditadura” e que devemos esforçar-nos pela “democracia” (decidido pelas massas): Milhões de arianos Brancos foram levados a acreditar nesta bela canção da “democracia”, mesmo com as massas de lixo humano aterrorizando agora toda a nossa nação.

Dizem-nos os judeus que a lei do STATUS (o estabelecimento da ordem natural das habilidades de cada pessoa em seu devido lugar) é uma “exploração de classes” e que os líderes naturais da sociedade – os que sempre tiveram prosperidade – devem ser destruídos e assassinados por aqueles que não tem. Nações inteiras cheias de bons arianos Brancos foram corrompidas com este método repugnante judaico de dividir e conquistar nosso povo através da luta de classes.

Finalmente, dizem-nos estes judeus sempre bondosos, que a especialidade feminina em criar filhos é uma escravidão horrível de nossas mulheres, que as mulheres estão preparadas para ser juízas, engenheiras, oficiais do exército, e executivas comerciais. O resultado, claro, é a crescente destruição da sagrada e bela instituição de todas as civilizações saudáveis: a maternidade, e com ela o lar e a família. Nosso mundo Ocidental inteiro tem caído por esta fraudulenta “democracia” judaica, que têm feito as mulheres nas vítimas mais deploráveis da doença judaica. Milhões de mulheres “modernas” estão desesperadamente perdidas, frustradas e totalmente deploráveis, mesmo quando estão grasnando sobre melhores direitos através de alto-falantes e marchando em volta de infernais organizações políticas. Enquanto isso, milhões de famílias estão sem mães afetuosas e maravilhosas, e os lares estão virando prisões luxuosas do que os milagres de amor e fervor que eram as casas de um século atrás.

Você já se perguntou alguma vez por que tantos delinquentes juvenis se juntaram em gangues? Durante anos, como a maioria das pessoas, eu pressupus que essa era uma perversidade antinatural dos garotos “maus”, porque eu me criei em uma classe “fechada” burguesa, sabendo pouco das realidades violentas da vida.

Mas quando se entende as leis do viver social para toda criatura – a necessidade humana de viver conforme as “Leis da Tribo” – a “gangue” se torna mais compreensível. Isso mostra que nossos filhos, pelo menos, ainda mantêm instintos saudáveis, mesmo que a manifestação exterior desses instintos seja nociva e anti-social como resultado das condições antinaturais impostas nas crianças pelo seu ambiente urbano totalmente doentio.

Observe que a primeira característica da gangue é o “exclusivismo”. Eles “se mantêm fanaticamente juntos”. Ataque um, e todos eles irão atacar você. Apronte com uma das mulheres do grupo, e você está morto. Eles são intensamente fiéis entre si. E eles odeiam os estranhos e agressores ainda mais intensamente.

Eles reafirmaram as sagradas leis Naturais da INTEGRIDADE BIOLÓGICA, de lealdade de grupo, mesmo que não saibam por quê. 

Observe que a próxima coisa que uma gangue faz é demarcar um “território” – uma área. Coitado de quem invada esse “território” – infringe na “propriedade privada” da gangue! Poderia algo exemplificar a lei de TERRITÓRIO mais claramente?

A gangue nunca é guiada por eleições “democráticas”, mas pelo mais forte, o melhor (pelas normas do grupo). Aqui está um exemplo clássico da lei de LIDERANÇA.

Observe como cada um dos membros de uma gangue é intensamente consciente do seu exato lugar na gangue – quem está por cima dele, e quem está abaixo. Permita que alguém tente subir sobre-o, e ele será destruído. Deixe que ele tente subir um grau, e o garoto de cima o derrubará. Aqui está a lei do STATUS – assim como na Natureza.

E finalmente, observe as mulheres de uma gangue. Elas dão alguma ordem ao líder? Não! Elas protestam por aí exigindo “direitos”? Claro que não! Elas agem do modo que todas as fêmeas do resto do mundo animal e não tentam agir como machos. Elas honram seus papéis de mulheres, tanto quanto “pertencendo” para, e ajudando com orgulho, um homem forte. E isso é exatamente o papel das mulheres nas sociedades saudáveis e felizes. 

(É interessante notar que os falsos psiquiatras Freudianos judeus estão sendo obrigados a voltar para as leis do grupo, as leis da tribo - para realizar “curas” de drogados e alcoólatras. Eles formam um grupo e seus fortes instintos de lealdade para esse grupo pode às vezes superar sozinho as fraquezas individuais)

Os negros, também, em sua cega e estúpida luta estão fazendo a mesma coisa, instintivamente formando lealdades negras, gritando “Poder Negro” e chamando entre si mesmos de “irmãos de alma”.

A despeito da pobreza mais extrema no lado baixo oriental da cidade de Nova York nos primeiros anos de imigração judaica, mesmo esses bandos desgraçados de judeus expulsos da Europa se mantiveram juntos com lealdade fanática de grupo obedecendo todas as “leis da Tribo”, que quase não havia delinquência e crime interno entre eles. De fato, a lealdade de grupo dos judeus é talvez a mais fantástica em toda a história do mundo. Isso os impulsionou perto do domínio mundial completo – não porque eles são mais corajosos, trabalham mais pesados, são mais inteligentes ou mais dignos que o resto de nós – mas porque eles observam as leis básicas da Natureza e mantém a lealdade do grupo. Enquanto todo o resto de nós sucumbe pelo seu apodrecido “mundo único”, o lixo “nós-somos-todos-irmãos” que desintegra nossa Sociedade, os judeus mantêm sua sociedade com uma lealdade de grupo nunca antes visto na história, e assim eles andam de um triunfo para outro.

Não até que Adolf Hitler , faz cinqüenta anos, começou a ver tudo isso intuitivamente, como uma nova visão de mundo, a Weltanschauung(Cosmovisão) do Nacional Socialismo, que os não-judeus conseguiram sua primeira percepção dentro da emergente ciência do viver humano em grupo. O que nós temos feito instintivamente durante séculos, e os judeus ainda estão fazendo instintivamente, Adolf Hitler começou a ver e entender intuitivamente.

A essência do Nacional-Socialismo é o racismo que, em termos mais simples, é apenas a crença de que os humanos diferem por excelência de linhagem exatamente como todas as outras coisas vivas, e que o Homem Branco é até agora a linhagem mais aprimorada a aparecer, enquanto os Negros são os mais inferiores. E, como o leitor irá lembrar, isso é a primeira lei de um grupo vivo, a “INTEGRIDADE BIOLÓGICA”, como eu indiquei.

Ao contrário das mentiras abomináveis dos judeus (e dos “conservadores”), a propriedade privada era fortemente protegida por Adolf Hitler. Krup e os outros donos de propriedades grandes ou pequenas, os homens de negócios e os nobres nunca perderam um centavo sob Hitler. (Uma vez, os “esquerdistas” intolerantes em seu partido queriam despojar os nobres alemães, e Hitler teve que apaziguar um motim em suas próprias fileiras para proteger seus direitos de propriedade, o que ele fez. Hitler era um nacionalista, um crente no território, na propriedade privada.)

É desnecessário apontar, que, Hitler deu ao seu povo a LIDERANÇA – não palavras bonitas ou demagogias, e eles o amaram por isso. Eles o seguiram com paixão e boa vontade como fazem os membros de todos os grupos sociais felizes, prósperos e saudáveis.

Havia paz e ordem entre o povo de Hitler, porque ele ensinou que um homem merecia e devia conseguir, um grande respeito por ser um bom escavador de valetas (se esse fosse o limite de sua capacidade para servir ao seu povo) como o homem que podia inventar uma nova e excelente máquina, ou sendo um líder político.

Cada indivíduo na Alemanha de Hitler era honrado por seu próprio lugar na sociedade, proporcionando que ele preenchesse isso ao melhor de sua capacidade. Eles não foram incitados sempre (como o nosso povo está pelos judeus) a procurar apenas profissões de Presidentes, Diretores de Junta, e executivos, quando algumas pessoas não nascem com essas aptidões particulares.

Para deixar o que um pode fazer, enquanto se cria um inferno e aponta o que um não consegue fazer, é interromper a sociedade ordenada e feliz, para não mencionar a frustração e desesperança do indivíduo que se nega a reconhecer seu lugar natural no mundo.

Assim o Estado de Hitler reconheceu a lei do STATUS. Cada homem era honrado pelo que ele fez honestamente e com sua melhor energia, sem importar se ele era um agricultor, um militar, um operário, um empregado de fábrica, ou qualquer coisa.

Por fim, Hitler procurou que se restaurassem para as mulheres seus antigos direitos de nascimento e fossem honradas como esposas, mães e produtoras de lares felizes, saudáveis – como criadoras de um bom povo.

As mentiras sobre a época de Hitler – agora são tão grandes e dominantes que é quase impossível questioná-las. Mas se você encontra um alemão honrado e corajoso que viveu durante esses bons tempos (e se ele está disposto a falar mesmo diante do terror que vive hoje no mundo quem se atreve a dizer a verdade), você irá aprender que o povo alemão conheceu como é uma boa liderança e um estado saudável natural, com Hitler.

Para impedir o conhecimento e que aquele estado natural de sociedade propagasse (e assim destruir a existência parasita do judaísmo), os malditos judeus provocaram o resto de nós para ir matar e destruir este milagroso renascimento Ariano Branco.

Mas a lei natural não pode ser destruída, assim como você não pode “destruir” o fato de que dois mais dois são quatro. Você pode aterrorizar o povo para não contar-lhe e pode fazer todos repetirem como um papagaio “dois mais dois são dezessete” – mas dois mais dois ainda são quatro, e sempre haverá alguém com astúcia e coragem, cedo ou tarde, para enfrentar os terroristas e mentirosos para reafirmar a verdade.

Isso já está acontecendo pelo mundo todo.

As gangues de jovens que eu citei são apenas um sinal do que realmente está acontecendo. As pessoas irão encontrar seu caminho de volta para as “Leis naturais da Tribo”.

O que Hitler deu ao mundo, como o Nacional-Socialismo, é em certo sentido, somente uma forma moderna da antiga, “lei tribal natural”, o preceito para o viver em grupo feliz e saudável dado pelo Grande Espírito a todas as criaturas vivas, incluindo o homem.

O Nacional-Socialismo não é mais nem menos do que a ORDEM NATURAL (um nome que seria, de certas maneiras, mais descritivo da realidade do que “Nacional-Socialismo”). Hitler tinha que moldar o nome do seu movimento para ter sucesso em uma situação política específica, e por conseqüência se viu obrigado a usar nomes e termos que atingiriam seus objetivos. Na Alemanha, havia milhões e milhões de alemães que julgavam a si mesmos como “socialistas” – mas estavam nas garras dos manipuladores judeus. Ao invés de lutar mais batalhas que ele teria, Hitler disse, na prática, para esses milhões, “Se vocês querem ser ‘socialistas”, não sejamos ‘socialistas’ judaicos – marxistas – sejamos ‘Socialistas NACIONAIS’. Sejamos ‘socialistas’ para a Alemanha, não para os judeus.”

E funcionou! Milhões e milhões de bons homens e mulheres que haviam sido seduzidos para o Comunismo pelos judeus foram reconquistados pelo seu próprio povo e a Ordem Natural do viver saudável em grupo pelos métodos de Hitler.

Além dos elementos fundamentais de ordem natural que eu apontei anteriormente, o Nacional-Socialismo representa algo muito superior e mais nobre do que qualquer mero conjunto de regras ou princípios. O Nacional-Socialismo, como uma FILOSOFIA, inclui o impulso eterno encontrado em todo ser vivo – de fato, em toda a criação – para um nível mais alto de existência – para a perfeição – para Deus.

Esta idéia “aristocrática” do Nacional-Socialismo – a ideia de uma batalha constante em toda a Natureza para uma existência mais elevada e superior, mais complexa, e mais perfeita – é o aspecto metafísico, sobrenatural de nosso ideal.

Em outros termos os conceitos de justiça social e a ordem natural são os órgãos e nervos do Nacional-Socialismo, mas a sua PERSONALIDADE, seu aspecto “religioso” – a coisa que o eleva sobre qualquer filosofia estritamente Política – é a sua atitude adoradora para a Natureza e um amor religioso aos grandes presentes de um Criador desconhecido.

O Cristianismo, por exemplo, é algo muito mais elevado do que os seus rituais, as palavras de suas orações ou qualquer de suas crenças. É um ESFORÇO ESPIRITUAL para os ideais de Perfeição Espiritual do crente. O Nacional-Socialismo é o mesmo tipo de esforço para níveis ainda mais elevados aqui nesta Terra, enquanto o Cristianismo se esforça para uma vida futura e posterior fora desta Terra.

Para o “soldado” comum em nosso “exército”, edificando e lutando pela Ordem Natural – o Nacional-Socialismo – é importante que eles respeitem e obedeçam as leis e doutrinas estabelecidas pelos altos ideais de nossa Filosofia simplesmente com um amor instintivo para esses ideais, talvez não com o entendimento completo das formas mais altas de nossa Filosofia.

Mas assim como os maiores líderes cristãos não eram aqueles preocupados com os detalhes e regras, mas aqueles que estavam “embriagados de Deus” com os ideais elevados da religião; os líderes entre a nossa elite Nacional-Socialista devem compartilhar essa aproximação fundamentalmente religiosa. Para eles o verdadeiro significado de nossa doutrina racial deve ser parte de sua idealista “batalha por Deus”.

Através de nossa identificação total com nossa raça, nós compartilhamos suas glórias passadas e futuras. Quando contribuímos de alguma forma, principalmente pelo auto-sacrifício para ajudar nossa raça ao longo caminho de uma existência mais elevada, nós atingimos Deus – o Criador da Raça Majestosa.

Para resumir, enquanto a mecânica e as regras do Nacional-Socialismo, como são identificadas e descritas aqui, são suficientes para a maioria de nós; para os poucos idealistas preparados e dispostos a sacrificar suas próprias vidas pela causa de seu povo, o Nacional-Socialismo deve ser um ideal religioso muito verdadeiro – um batalhar por Deus. O Nacional-Socialismo é o único movimento que ganhou suficiente auto-conhecimento e visão para poder compreender esse movimento fora da artificialidade liberal através da sabedoria eterna da Natureza. Nossa crença máxima na raça, nossa insistência das leis naturais da sociedade, economia e todo outro campo de atividade humana é, em todo caso, a aplicação consciente, científica das leis férreas da Natureza, em contramão das perversões vaidosas e cegas dessas leis, como são empurradas pelos arrogantes, “cérebros de amendoim” marxistas e liberais.

Rockwell em discurso nos E.U.A.
Nossos opositores liberais e marxistas são cegos ao que eles estão fazendo. Mas em todo caso, se irá descobrir que eles são inimigos das leis da Natureza, conceituados “intelectuais”, que são vítimas de repetitivos “um pouco de conhecimento é uma coisa perigosa”. Porque eles descobriram que podem ensinar um Negro do Congo a recitar poesia ou mesmo trabalhar como advogado ou médico, se colocam todos orgulhosos com sua habilidade de torcer a Natureza para assentar a si mesmos, e imaginam que podem fazer empreendedores Homens Brancos Ocidentais a partir de qualquer Hotentote (Nota do tradutor: Hotentote é uma etnia de negros do sudeste da África). O fato de que a Natureza tenha feito do Negro o que ele é, e que nenhuma diligência humana pode fazer “bolsa de seda com a orelha de uma porca”, eles simplesmente se negam a reconhecer.

O Nacional-Socialismo é a essência destilada do amor e respeito pela Natureza e a intensa, consciente, e científica aplicação das eternas, simples e belas leis da Natureza para todo momento da existência do Homem. Ao mesmo tempo, o Nacional-Socialismo reconhece a necessidade do Homem por uma cultura mais elevada do que aquela dos animais irracionais da selva e, portanto, eleva a aplicação da lei Natural de uma dura competição de caça do mundo animal, por exemplo, para uma competição regulada e ordenada, sob regras justas.

Nossos opositores querem eliminar a competição totalmente – uma ideia absolutamente antinatural.

O Nacional-Socialismo insiste que o homem pode aprimorar e enriquecer a aplicação das Leis Naturais da vida para o benefício do homem, mas também insiste que o Homem não pode fugir ou desafiar a Lei Natural. Entre os estados de saúde social (“Nacional Socialismo” ou Ordem Natural) e a doença social (O Marxismo judeu) põe-se a “terra de ninguém” de inexistência – o lugar onde os humanos não estão mortos, nem realmente vivos.

A democracia, o liberalismo, e o “conservadorismo” são estados não adulterados e puros de inexistência. Eles não têm nenhuma perspectiva básica, fundamental na vida, nenhuma compreensão, nenhuma força vital profunda dentro deles. São caprichos enganadores com belas palavras e frases, não significando nada no final. Somente trazem o caos e preparam o terreno para os judeus e seu execrável e antinatural Comunismo.

A única maneira que nós temos para parar de uma vez este jogo judaico trapaceiro, e capturar as mentes e almas do nosso povo, é restaurando nossas pessoas pela Ordem Natural – As leis da Tribo – que, sozinho, nos dará a força e a vontade para reafirmar a superioridade natural, biológica, de nossa Raça Branca, e assim salvar a Civilização Ocidental.

Destrua as forças coesivas da Ordem Natural em qualquer grupo, e esse grupo irá se tornar caótico, desesperado, frustrado, perdido, vazio, vicioso, e finalmente desprotegido ante qualquer outro grupo que esteja unido e obedecendo as Leis da Tribo.

Por isso os Negros, em tantos casos, aterrorizam cidades inteiras. Eles se mantêm unidos. Ataque um, e um milhão de Negros rugem contra você. Por isso os policiais já não se atrevem a prendê-los, mesmo pelos mais hediondos crimes.

E os judeus são mais poderosos ainda entre nós, pela mesma razão. Eles se mantêm unidos.

Agregando as leis da tribo com as leis raciais (Nota do Tradutor: foram examinadas no Capítulo IX desse livro), nós podemos sintetizar uma nova lei da sociedade moderna: a Lei de Dominação do grupo.

Em um estado Natural, o animal ou grupo humano primitivo que é biologicamente superior, o grupo composto pelos melhores indivíduos, carregando os melhores genes e cromossomos, irá dominar todos os grupos inferiores, porque todos os grupos na Natureza (superiores ou inferiores) obedecem as Leis da Tribo por igual.

Assim, o único fator que opera competitivamente no mundo animal é a excelência biológica de linhagem. Mas os caprichos científicos, o luxo e o “liberalismo” judeu têm destruído tanto a capacidade para sentir e obedecer as “Leis Naturais da Tribo” do Homem Branco moderno que ele perdeu sua coesão de grupo; se tornou “desapegado” como um animal social; ele se dividiu e se desviou em milhões de indivíduos isolados e centenas de milhares de “grupos de pressão” egoístas, classes, etc. Essa divisão quase completa da grande “tribo” dos Homens Brancos reduziu-nos para a impotência, como um grupo.

A lei de DOMINAÇÃO DE GRUPO entre os homens é a regra em que qualquer grupo, que fixamente adere as Leis Naturais da Tribo, pode dominar qualquer grupo que desobedeça a essas leis, não importa o quanto inferior possa ser a “tribo” que obedeça as leis.

É por isso que os negros e judeus controlam todo Homem Branco na América - construída e criada por Homens Brancos. Isso é por que nós sofremos a tirania da “minoria”. Qualquer minoria organizada de escória e lixo humano tem poder – enquanto a grande maioria Branca, não-judia, é um gigante encostado, inválido e paralisado.

O objetivo, então, da nossa revolução Nacional-Socialista é a restauração das Leis da Tribo para o nosso povo, ativar sua superioridade biológica natural de criação outra vez para dar ao Homem Branco domínio do que ele construiu e deveria dominar.

Isso é exatamente o que Hitler e o Nacional-Socialismo fizeram na Alemanha para milhões e milhões de pessoas divididas, alienadas, que foram arruinadas para o desespero e caos.

Hitler não ganhou o sucesso impressionante com seu povo porque ele era um “cara durão”, ou porque ele fez reuniões grandes e emocionantes, ou porque os alemães são “bestas” naturais, nem qualquer das outras razões ditas pelos judeus mentirosos e seus bajuladores aliados liberais e conservadores.

A razão pela qual Hitler pôde atingir um milagre social na Alemanha foi porque Hitler intuitivamente entendeu tudo o que eu escrevi e recuperou o seu povo para a ORDEM SOCIAL NATURAL.

Hitler ensinou o seu povo para deixar de odiarem-se como indivíduos isolados, sozinhos e assustados, e lhes devolveu esse sentido sagrado de nacionalidade, de “Tribo”; sim, de irmandade verdadeira (não o tipo artificial espalhado pelos judeus). (Não há nada errado sobre “irmandade” com seu próprio povo. O problema é quando os judeus maliciosamente e falsamente tentam estender a “irmandade” e tratar de fazer-nos “irmãos” de Zulus, pigmeus, chineses, bosquímanos e judeus, até que a “irmandade” se torna um protótipo para a catástrofe racial, como têm sido.) 

Hitler deu ao seu povo o mesmo espírito de sacrifício de amor apaixonado por uma família e um povo (que é uma grande “família”), que uniu e abençoou todo grupo social natural de criaturas na criação.

Como eu disse muitas vezes, nenhum homem pode viver feliz, com sucesso, e de forma produtiva, sendo um indivíduo sozinho, amargurado em guerra com todos os seus semelhantes. Cada um de nós possui uma profunda necessidade pela dedicação e amor do seu grupo, daqueles em sua família biológica de pessoas. O Homem moderno perdeu esse sentimento de paixão, lealdade e amor de grupo, e o resultado é o caos e vazio espiritual que nós vemos por todo o nosso redor nessa sociedade Ocidental desintegrando-se.

Os horrores descritos neste livro são os resultados direto da desobediência quase total da América às leis da tribo. Esses horrores irão continuar, mesmo se todos os judeus e negros sumissem da noite para o dia, a menos que nós recuperemos nosso povo, como Hitler fez, a ORDEM NATURAL, as “Leis da Tribo”.

Nossa revolução, portanto, não é material e física, mas uma mudança espiritual radical na sensibilidade do nosso povo:

A eliminação do desvio egoísta e o “individualismo” ilimitado, ganancioso; que se chama como “liberalismo”, “conservadorismo”, ou “democracia”, e a restauração nos corações dos Homens Brancos Ocidentais dos sentimentos profundamente gratificantes de amor ao nosso próprio grupo. Esse amor ao próprio grupo se manifesta por si mesmo pela boa disposição para sacrificar-se e entregar-se por uma família – e a maior família de cada um é a raça.

Sobre o Autor:


George Lincoln Rockwell, nascido em 9 de março de 1918 em Bloomington, Illinois, EUA, assassinado em 25 de agosto de 1967 em Arlington, Virginia) foi oficial, aviador da marinha e político dos EUA.

O germanófilo, Rockwell, serviu como aviador na United States Navy durante e após a Segunda Guerra Mundial, como Commander ao final. Foi o fundador e dirigente da World Union of Free Enterprise National Socialists e da sua sucessora, a American Nazi Party. Em abril de 1966 foi entrevistado pelo jornalista Alex Haley, para o Playboy Magazine, na sede da American Nazi Party.

Rockwell tornou-se conhecido na mídia com a denominação de American Hitler.

Em 25 de agosto de 1967, Rockwell foi assassinado a tiros por John Patler, o qual havia sido desligado da organização por suspeita de envolvimento com o bolchevismo. Não foram esclarecidos porém, os motivos do assassinato, e permanece a possibilidade de Patler ter sido infiltrado pelo FBI (Federal Bureau of Investigation) ou pela CIA (Central Intelligence Agency), órgãos aos quais a opinião pública, na época, atribuiu a autoria de numerosos atentados.

Rockwell deixou como herdeiros sua esposa e 4 filhos. A chefia da organização ficou sob responsabilidade de Matt Koehl, e passou a se denominar New Order.

Um evento marcante da sua carreira, foi a sua reunião com Malcolm X, um líder da nação negra da entidade separatista Nação do Islã. Este suposto encontro entre Rockwell e Malcom X, não é citado em momento algum na auto biografia do segundo. O que consta documentado é um encontro entre o jornalista Alex Haley colaborador e escritor do livro que foi escrito pelo mesmo, baseado nas palavras de Malcom X.Foi Alex Haley quem se encontrou com Rockwell. Escreveu na biografia de Malcom x suas próprias palavras somente o epílogo baseado em sua experiencia vivida com Malcom X, durante o período de três anos que a auto biografia foi escrita.


Muitos escritos de Rockwell estão disponíveis através da internet na atualidade.

5 comentários:

  1. PROS KOSHERS ERA ALGO TERRIVEL QUE ALOGENOS E OCIDENTAIS TIVESSEM SE ENTENDIDO SEM ELES NO MEIO INTERMEDIARIOS PRA IMPOR UM IMPERIO DE SOLO E FAZER DE AMBOS GADO DELES; POR ISSO MESMO QUE DESTRUIRAM AS PRINCIPAIS LIDERANÇAS DE AMBOS OS LADOS COM ALGUMA INDEPENDENCIA E METERAM NO LUGAR ROBOTS DELES TOTÓS

    ResponderExcluir
  2. O PIOR É VER QUE MESMO QUANDO HOUVERAM CONSCIENTES DE AMBOS OS LADOS COMO MOSTRA A FOTO, AINDA HOJE AINDA HA QUEM FAÇA O JOGO DO INIMIGO; QUERENDO VER SEU POVO GADO DE UM IMPERIO DE SOLO KOSHER - OS ALOGENOS SÃO MAIS SUSCEPTIVEIS A ACEITAR ISSO PELO MENOR QI, POR TER MENOS A PERDER, POR INVEJAR O OESTE, POR TER COMPLEXOS DE PSEUDO-OCIDENTALIZAÇÃO, ETC ETC; MAS VEMOS DO OUTRO LADO PARTE QUASE TÃO ESTUPIDA QUANTO

    ResponderExcluir
  3. NÃO SEI TALVEZ TUDO TENHA SE PERDIDO DECADAS ATRAS; O HOJE SÃO AS RUINAS; AMANHÃ NADA HAVERÁ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem não lê sabe tanto quanto quem não sabe ler

      O que consegui constatar sobre o Nacional Socialismo > transformado pela propaganda sionista em Nazismo está disponível na WEB em poucos links que ainda se mostram sérios como https://quenosocultan.wordpress.com/
      DESATRACADO, INACREDITÁVEL, O SENTINELA, nazismo-verdades-e-mentiras.blogspot.com/.../porque-os-eua-capitalistas-se- aliaram.html

      Também ainda é possível encontrar e postar coerências no link emefceucidadedutra.blogspot.com/2012/12/palestra-com-ben-abraham.html

      Um engano não se torna verdade por meio de ampla divulgação, nem a verdade se torna um engano porque ninguém a enxerga. M.K.Gandhi

      Saudações

      Excluir

  4. „Tatsachen schafft man nicht dadurch aus der Welt, dass man sie ignoriert.“ Os fatos não se extirpam do mundo só porque se os ignora. (Aldous Huxley – engl. Schriftsteller, escritor inglês – 1894-1963)

    http://emefceucidadedutra.blogspot.com.br/2012/12/palestra-com-ben-abraham.html?showComment=1445032738998#c5975676294811165570

    Sem RESGATAR A VERDADE https://www.youtube.com/watch?v=dSiYszLlYxU SOBRE A ALEMANHA não há qualquer perspectiva de um mundo melhor.

    ResponderExcluir

O Sentinela - Mídia dissidente brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...